ONS: Previsão da semana indica que carga sobe 3,4% no mês

BBCE registra aumento nas negociações em agosto
25 de setembro de 2020
Tecnologias de baterias e armazenamento de energia entram no radar da Aneel
25 de setembro de 2020
Mostrar tudo

O boletim semanal do Programa Mensal de Operação (PMO), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), referente a semana operativa de 19 a 25 de setembro, traz otimismo ao apontar o crescimento de 3,4% na carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) para o mês, se comparada com  o mesmo mês do ano passado. O subsistema Sudeste obteve uma elevação de 3,3%, com 40.710 MW médios. A expectativa para o Sul é de 7,1%, com 11.711 MW médios e, para o Norte, aumento de 5%, com 6.032 MW médios. O Nordeste continua apresentando previsão de recuo com 0,6% e 10.632 MW médios. 

No subsistema Sudeste/Centro-Oeste as sinalizações meteorológicas indicam, para as capitais da região, declínio das temperaturas médias previstas para o período em relação a esta semana. Na região Sul, as capitais do Rio Grande do Sul e Santa Catarina seguem sem variações; já Curitiba a previsão meteorológica indica suave declínio das temperaturas médias previstas para a próxima semana de operação. As capitais das regiões Norte e Nordeste permanecem com temperaturas e previsão de chuva estáveis, quando comparado com a semana em curso, comportamento típico para a época do ano.

Em ascensão pela terceira semana consecutiva de setembro, o valor esperado do Custo Marginal de Operação (CMO) sobe em 17,4% nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte. Esses subsistemas estão igualados com custo de R$ 98,30/MWh, ante R$ 83,66/MWh da semana anterior. No Nordeste, o aumento deverá ser de 9,5%, com valor de R$ 67,41/MWh, contra R$ 61,54/MWh.

O boletim do ONS indica que os reservatórios irão atingir no fim do mês, , 64,7% de sua capacidade no Nordeste; 51,9% no Norte; 40,5% no Sul e 33,8% no Sudeste . A projeção mostra ainda melhores afluências para os subsistemas Sudeste e Norte, ambos com 69% da MLT; seguido do Nordeste com 68% da MLT e o Sul, com 46% da MLT. 

Confira o relatório na íntegra.

Fonte: ONS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>